Amamentação

O ato de amamentar é um ato de amor de toda a mulher que resolveu ser mãe para o bebê.

A amamentação é a melhor herança que a mãe pode deixar para o seu filho. Sabemos que a amamentação promove o melhor desenvolvimento emocional, mental e físico para o bebê.

Na amamentação percebemos vários movimentos de formação do ser humano. Quando o bebê está na posição correta de amamentação (chamada de posição ortostática de Robin), começa o desenvolvimento da lateralidade, que fará com que o indivíduo tenha o seu corpo futuramente simétrico de ambos os lados a partir do plano sagital mediano, e perceba seu lado esquerdo e direito.

Quando o bebê está encostado no corpo da mãe, sente todo o carinho que ela pode passar através deste contato, assim como ouvir a respiração, as batidas do coração, sentir o calor do corpo e o aconchego do colo, enfim, o primeiro relacionamento amoroso daquela pessoa, enquanto isso, o lado oposto está se relacionando com o mundo, e ele percebe quem passa, abre o braço, levanta a mão, gira o corpo, etc.

A mulher tem dois peitos, para que ao amamentar o bebê se desenvolva de maneira equilibrada do lado esquerdo e direito.

No quesito sucção, o bebê faz a “pega” na aréola e os lábios prendem o mamilo dentro da boca, a língua se justapõe ao palato mole, ao mesmo tempo mandíbula e língua abaixam criando vácuo e aspirando o mamilo. Quando a mandíbula (que no bebê é retraída geralmente ao nascer) avança, como uma prensa, a língua serpenteia e o leite sai, neste exato momento, o bebê tem a opção de engolir, ou não, ou simplesmente degustar por mais tempo, ou brincar com o leite na boca; e quando resolver engolir, o leite é levado até a faringe e começa a deglutição. Com todos estes movimentos de sucção e deglutição (por volta de 3.500 movimentos, segundo Wilmes), os músculos orais e as arcadas se desenvolvem a fim de preparar este indivíduo para as futuras mastigações e fala. Devemos lembrar a mãe que neste momento o bebê deve estar com o nariz desobstruído para que haja a correta respiração durante a amamentação, sendo fundamental para o desenvolvimento harmonioso da face.

Temos então, a formação dos reflexos infantis, de busca, sucção (assim que toca o palato), deglutição e respiração. Ainda no quesito sucção, não podemos esquecer a importância no desenvolvimento emocional, no sentido de proporcionar segurança, conforto e saciedade para o bebê que serão de grande importância para a formação do indivíduo feliz.

O leite que o bebê recebe é o colostro que é o leite das primeiras 30 horas de amamentação, após este período acontece a lactogênese (através dos hormônios prolactina – produção de leite; e a oxitocina – ejeção do leite) e temos então o leite maduro, mas consistente.

O leite materno não só é o alimento mais completo e digestivo para a criança até um ano, como tem ação imunizante.

Para que a amamentação aconteça de maneira saudável, a mãe deve cuidar da saúde corpórea e também da saúde bucal e de preferência estar livre de infecções ou uso de medicamentos, assim como manter uma dieta saudável, baseada nos alimentos dos quatro grupos relacionados abaixo:

1. Leite e derivados;
2. Carnes, aves e peixes;
3. Frutas, legumes e verduras;
4. Cereais e pães.

A mãe deve manter esta dieta de maneira equilibrada, sem exageros e sem escassez.

Para o Cirurgião-Dentista que atende um paciente com mordida cruzada, flacidez na musculatura de lábios e bochechas, um desenho de lábio inadequado, um respirador bucal, posição inadequada da língua, ou até mesmo uma assimetria corporal, deve questionar em sua anamnese a possibilidade deste paciente não ter sido amamentado da maneira correta, como uma das causas do problema apresentado.

E por todos os aspectos abordados neste texto, e mais a serem discutidos, devemos tentar incentivar o máximo possível nossas pacientes gestantes a fazer a amamentação mais correta para o bebê.

Para discutirmos mais sobre este assunto estaremos nos dias 24 e 25 de junho na APCD – Rua Voluntários da Pátria, 547, promovendo o II Congresso Paulista de Odontopediatria APCD – APO. Faça sua inscrição pelo site da APCD (www.apcd.org.br/decofe@apcd.org.br) ou diretamente no DeCoFe.

Adriana Cátia Mazzoni

Odontopediatria – APO

Referências Bibliográficas

Corrêa, M.S.N.P. Odontopediatria na Primeira Infância – 1ª edição – São Paulo, Ed. Santos, 1998 Guedes-Pinto, ª C. – Odontopediatria – 5ª edição – São Paulo: Santos, 1995

Marchesan, I.Q.: Motricidade Oral – São Paulo: Pancast, 1993
Moss, S.J. – Crescendo sem Cárie – Um guia preventivo para dentistas e pais: Quintaessence, Ed. São Paulo, 1ª edição, 1996