HALITOSE

A halitose se apresenta como uma alteração do odor oral, podendo indicar desequilíbrio local ou sistêmico. (Hine, 1957) Seu diagnóstico é de grande importância para a saúde física e psíquica do indivíduo. A etiologia e tratamento da halitose esta associada a diversas áreas: Odontologia, Medicina, Nutrição e Psicologia.
A halitose não é considerada uma doença. Os odores bucais estão relacionados ao dinamismo do próprio corpo humano, às suas reações químicas e físicas. (Freitas Neto, 1999)
O hálito humano normalmente é livre de mau odor; quando passa a ter esse efeito, existe uma desordem funcional. O hálito varia naturalmente, de acordo com a idade. Lu (1982) descreve que no recém-nascido ele é adocicado, no jovem e adulto neutro, e no idoso forte e frequentemente desagradável.
A halitose na faixa etária de 5 a 14 anos é decorrente da saburra lingual e da secreção nasal posterior; na faixa etária de 15 a 24 anos, a saburra lingual é a causa mais comum. (Miyazaki e col 1995)
A distinção dos odores possui caráter individual; o mesmo odor pode ou não agradar (Tonzetich, 1977; Costa, 1987; Neiders, 1999; Rawson, 1999; Brunette, 2002)
A Sociedade Internacional para Pesquisa dos Odores da Boca preconiza a classificação da halitose em três categorias: genuína (fisiológica e patológica), pseudo-halitose e halitofobia. (Murata e col, 2002)
- Halitose genuína fisiológica: o mau odor é causado pelos processos de putrefação na cavidade oral.
- Halitose genuína patológica: causadas por doenças orais ou sistêmicas.
- Pseudohalitose: o indivíduo que teme ser portador do mau odor bucal, embora isso não seja uma realidade. Mas, aceita o diagnóstico do profissional.
- Halitofobia: apesar de não haver evidencia física ou social de halitose o indivíduo continua acreditando que é portador do mau odor bucal.
O Odontopediatra tem papel fundamental no diagnóstico da halitose do adolescente, principalmente pelo seu vínculo e conhecimento do paciente desde a primeira infância, podendo perceber as alterações do hálito neste período.

Autoras: Alessandra Mazzoni e Dóris Ruiz